Carta ao Pastor Ezequiel Teixeira, novo Secretário de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio de Janeiro

16 de dezembro de 2015
Ezequiel Teixeira

Ao pastor,

Meu nome é Ronilso Pacheco, e sou evangélico também. Soube com preocupação da sua nomeação para esta importante pasta. Preocupação porque o senhor sabe que não deveria estar aí, e sabe mais ainda que só chegou aí fruto de uma manobra política.

Isso já seria motivo suficiente para o senhor, sendo evangélico de fato, não aceitar o convite para assumir o cargo. Uma vez que o convite não está vinculado a sua experiência, mas a interesses do jogo de poder, se o senhor aceita, é porque também está interessado no jogo de poder e não no que pode servir a sociedade a partir daí.

Gostaria que o senhor soubesse que esta Secretaria não é a sua Igreja, e que, portanto, sou um dos também evangélicos que estarão permanentemente de olho na sua gestão e em qualquer tentativa de beneficiar interesses que pensem apenas nas igrejas e nos evangélicos, privando a sociedade (sobretudo os grupos sociais mais marginalizados e destituídos de direitos) de voz e de espaço digno na esfera pública.

Não esqueci o seu apoio à redução da maioridade penal, o que constitui uma vergonha, vindo de um pastor, que ignorou o ECA e semeou a desesperança na recuperação de adolescentes que cometeram ato infracional.

Não esqueci o seu vergonhoso voto que negou o reconhecimento do conceito de família para pessoas do mesmo sexo, chamando de “desarranjo familiar” e de “anarquia”. Em qualquer Estado sério, o senhor não teria legitimidade para ocupar esta secretaria, uma vez que sequer tem a humanidade necessária para reconhecer que a experiência familiar não se resume ao seu mundo, a sua religião e a sua própria família.

Mas aí o senhor está. Então, pastor, vigia, mas vigia muito. Nós vamos acompanhar seus passos, suas medidas, suas decisões, suas entrevistas, suas declarações. Vamos exigir seu posicionamento toda vez que ignorar direitos de outros, em nome de interesses seus e do seu grupo. Vamos querer audiência com você, vamos te cobrar. Se não nos receber, estaremos te esperando na porta da sua Igreja. Seremos como João Batista, como Jeremias, e não daremos trégua.

Por fim, minha oração pelo senhor é que o senhor perca o sono. Que a violência que acomete os pobres, que as violações do Estado, que os direitos humanos pisoteados nas favelas e nas periferias não saiam da sua consciência e não lhe deixem dormir em paz até que o senhor queira dar a elas a devida atenção, como a viúva pobre, como Rispa.

Rio de Janeiro, 16 de Dezembro de 2015.

Ronilso Pacheco

Ronilso Pacheco

Ronilso é de São Gonçalo, no Rio de Janeiro. Estuda Teologia na Pontifícia Universidade Católica do Rio. É membro do Coletivo Nuvem Negra e congrega na Comunidade S8 Rio. Interlocutor social na ONG Viva Rio.
Ronilso Pacheco