Conecte-se com a gente

Novos Diálogos

Cristãs e Cristãos Unidxs em apoio a Inclusão de pessoas LGBTI na Igreja

Artigos

Cristãs e Cristãos Unidxs em apoio a Inclusão de pessoas LGBTI na Igreja

PREÂMBULO

Como seguidoras e seguidores de Jesus Cristo, somos compelidxs a dar testemunho do amor, da graça e da verdade de Deus em cada geração. Cremos e servimos a um Deus que é vivo e ativo, e que nos aproxima continuamente da imagem de Jesus Cristo e do Reino por ele proclamado. Como o próprio Cristo nos assegurou, seguir o Espírito Santo nos leva frequentemente a momentos em que somos chamadxs a refletir e a reformar nossas tradições e práticas para estarmos mais claramente conformes à mente e ao exemplo de Jesus Cristo. Isto tem acontecido ao longo de toda a história cristã. Assim, como cada geração antes de nós, somos chamadxs a refletir, a nos arrepender e a reformar nossos ensinos e práticas para estar cada vez mais alinhadxs ao coração e à vontade de Deus revelados a nós em Jesus Cristo.

Em cada geração, há xs que resistem à liderança do Espírito de várias maneiras e se apegam aos dogmas e tradições que Deus está nos chamando a repensar e reformar. Ao longo da nossa história, aquelxs que estiveram na linha de frente da obra santificadora do Espírito Santo, muitas vezes se viram inicialmente excluídxs, marginalizadxs e demonizadxs por alguns e algumas dxs que estão dentro de instituições cristãs estabelecidas. No século XXI, acreditamos que a Igreja se encontra mais uma vez em vias de uma nova reforma, na qual o Espírito Santo nos chama a retornar às Escrituras e às nossas tradições, a fim de reexaminarmos nossos ensinos sobre sexualidade humana e identidade de gênero.

Durante décadas, muitxs pastorxs, teólogxs e reformadorxs responderam corajosamente ao chamado do Espírito Santo e se apresentaram para chamar a Igreja a uma compreensão renovada do ensino cristão sobre sexualidade e identidade de gênero, que inclui, afirma e acolhe a comunidade lésbica, gay, bissexual, transgênera, não-binária e queer, tal qual criada e plenamente abençoada por Deus e acolhida na vida da Igreja e da sociedade como são, sem a necessidade de se conformar ao paradigma heteronormativo, patriarcal e binário da sexualidade e de gênero que o cristianismo veio a promover e abraçar. À medida que essas vozes proféticas avançaram, algumas pessoas no interior das instituições cristãs tradicionais se esforçaram em demonizar, excluir e marginalizar os que seguiram fielmente a orientação do Espírito Santo para reexaminar as Escrituras e a tradição, alegando que essxs reformadorxs eram falsos mestres ou hereges, e representavam apenas uma pequena porcentagem de cristãs e cristãos em todo o mundo.

Nos últimos vinte anos em particular, centenas de milhares de seguidorxes de Cristo ao redor do mundo começaram a responder ao impulso do Espírito Santo e passaram a entender os ensinos das Escrituras e nossa tradição de modo a afirmar plenamente, acolher e celebrar a comunidade LGBT+ e seus relacionamentos. Enquanto alguns dentro do establishment cristão tradicional têm procurado minimizar a crescente onda de vozes cristãs importantes que têm reformado suas perspectivas sobre a inclusão de pessoas LGBT+, permanece a verdade inegável de que o chamado ensino cristão “tradicional” sobre sexualidade e identidade de gênero está sendo abandonado por uma compreensão mais fiel, cristocêntrica e, acreditamos, mais bíblica da sexualidade e identidade de gênero que engrandece a criatividade de Deus e celebra a ampla diversidade da criação divina da humanidade.

Um novo dia está surgindo na Igreja, e todxs xs cristãs e cristãos estão sendo chamadxs, corajosamente e sem se desculpar, a afirmar e celebrar nossxs irmãs e irmãos LGBT+ como iguais participantes no Reino de Deus. Portanto, na esperança de servir a Igreja de Jesus Cristo e promover uma maior reforma e reconciliação entre a Igreja e a comunidade LGBT+, esta coalizão de líderes cristãs e cristãos oferece as seguintes afirmações e negações.

Artigo 1

AFIRMAMOS que todo ser humano é criado à imagem e semelhança de Deus e que a grande diversidade expressa na humanidade através de nosso amplo espectro de sexualidades únicas e identidades de gênero é um reflexo perfeito da magnitude do trabalho criativo de Deus.

NEGAMOS qualquer ensino que sugira que a intenção criativa de Deus é limitada a um gênero binário ou que o desejo de Deus para as relações românticas humanas deva ser expresso apenas em relacionamentos heterossexuais entre um homem e uma mulher.

Artigo 2

AFIRMAMOS que Deus projetou o casamento como um vínculo de aliança entre os seres humanos que se comprometeram a amar, servir e viver uma vida fielmente comprometida uns com os outros ao longo da vida.

NEGAMOS que Deus pretendeu que as relações românticas humanas sejam limitadas a um homem e uma mulher e declaramos que qualquer tentativa de limitar os direitos sagrados ou civis dos seres humanos de pactuarem-se e comprometerem-se a amar e servir uns aos outros é uma afronta ao desígnio criado por Deus.

Artigo 3

AFIRMAMOS que as relações entre os seres humanos caídos sofreram grandes distorções, resultando em várias formas de infidelidade e comportamentos pouco saudáveis que contribuem para o sofrimento da humanidade. Também afirmamos que o desejo de Deus é que todos os seres humanos entrem em relacionamentos de amor e sacrifício uns com os outros, sejam românticos, platônicos ou sociais, independentemente de identidade sexual ou de gênero.

NEGAMOS que a queda nas relações humanas resultou na multiplicidade de orientações sexuais e identidades de gênero. Na verdade, a queda se manifesta na capacidade humana de agir a partir de um interesse próprio, hedonista, em vez do amor que se doa, em cuja imagem somos criados.

Artigo 4

AFIRMAMOS que aqueles que nascem como intersexuais são portadores plenos e iguais da imagem e semelhança de Deus e são merecedores de total dignidade e respeito. Afirmamos e apoiamos os indivíduos intersexuais em sua jornada de autorrealização, acolhendo sua orientação sexual e identidade de gênero únicas e criadas por Deus, seja ela qual for.

NEGAMOS que os indivíduos intersexuais são obrigados a se conformar a um paradigma sexual binário ou heteronormativo.

Artigo 5

AFIRMAMOS que, embora a identidade de gênero masculina e feminina reflita a maioria da família humana, Deus criou indivíduos cuja identidade de gênero não se enquadra em tal espectro binário. Também afirmamos que existem muitos indivíduos transgêneros que nascem com um corpo físico incongruente com sua verdadeira identidade de gênero, e esses indivíduos devem ser apoiados e respeitados em relação ao seu próprio autoconhecimento sobre quem são e como Deus os criou.

NEGAMOS que forçar indivíduos a acolher uma identidade de gênero que corresponda aos pressupostos culturais baseados em sua biologia seja uma prática saudável e que o binário heterossexual masculino/feminino seja o único reflexo consistente dos propósitos sagrados de Deus na Criação.

Artigo 6

AFIRMAMOS que as cristãs e cristãos LGBT+ são chamados a viver vidas santas e plenas que agradem a Deus por meio de um viver em harmonia com a intenção criativa de Deus para elxs e, como todxs as cristãs e cristãos, são chamadxs a andar em um ritmo de vida que reflita o exemplo de Jesus Cristo nosso Senhor.

NEGAMOS que a heterossexualidade ou as identidades binárias de gênero são as únicas identidades legítimas de sexualidade e gênero que refletem a bondade natural da criação de Deus.

Artigo 7

AFIRMAMOS que se pode viver orgulhosa e abertamente como um indivíduo LGBT+ e como fiel seguidor/a de Jesus Cristo e que os indivíduos LGBT+ devem ser plenamente acolhidos e incluídos em todos os níveis de liderança, vida e ministério cristãos, sem exceção, para que a Igreja acolha inteiramente seu chamado para ser o corpo de Cristo. Também afirmamos o apelo de Cristo para que a Igreja seja una, unida em meio a nossa diversidade de orientações sexuais, identidades de gênero, relacionamentos e crenças sobre as mesmas.

NEGAMOS que os ensinos sobre a interpretação bíblica da sexualidade e identidade de gênero constituem uma questão de ortodoxia e devam ser causa de divisão entre a comunidade cristã.

Artigo 8

AFIRMAMOS que o ensino não inclusivo causa danos psicológicos e espirituais significativos aos indivíduos LGBT+ em igrejas cristãs em todo o mundo. Afirmamos também que a Igreja de Jesus Cristo é culpada de pregar uma mensagem nociva que tem causado a centenas de milhares de indivíduos enfrentarem bullying, abuso e exclusão de suas famílias e comunidades, e que ela deve se arrepender publicamente e buscar reconciliação com a comunidade LGBT+ pelo dano que lhe foi causado em nome de Cristo.

NEGAMOS que qualquer cristã e cristão que perpetua ensinos nocivos e se recusa a dialogar abertamente com as pessoas LGBT+ esteja vivendo uma vida modelada pelo fiel exemplo de Jesus.

Artigo 9

AFIRMAMOS que a sexualidade e a identidade de gênero podem ser expressas de várias maneiras diferentes, incluindo o celibato. Também afirmamos que o compromisso, o consentimento, o respeito e o amor autossacrificial devem ser o centro de qualquer vida ou relacionamento que deva ser considerado santo e correto para um cristão.

NEGAMOS que qualquer indivíduo, especialmente menores de idade, deva ser forçado a procurar qualquer forma de tratamento ou terapia que prometa mudar sua orientação sexual ou identidade de gênero, a fim de conformar-se a um modelo de relacionamento patriarcal e heteronormativo.

Artigo 10

AFIRMAMOS que Jesus Cristo veio ao mundo para trazer salvação a todas as pessoas e, através de sua vida, ensinos, morte e ressurreição, todas são convidadas a redenção por meio de Cristo.

NEGAMOS que Cristo rejeite qualquer pessoa de seu acolhimento amoroso por causa de sua sexualidade ou identidade de gênero. Da mesma forma, negamos que a homossexualidade, a bissexualidade, a sexualidade queer, a identidade trans, a assexualidade ou qualquer outra identidade queer seja pecaminosa, distorcida ou fora da intenção criada por Deus.

 

Nota explicativa: “Cristãs e cristãos Unidxs” é uma declaração teológica internacional que reúne milhares de cristãxs LGBT+ declarando em uma só voz que a Igreja de Jesus Cristo deve ser um lugar onde as pessoas LGBT+ sejam celebradas e acolhidas. Ela foi criada como uma resposta direta à Declaração de Nashville, um documento assinado por 150 líderes evangélicos em agosto de 2017, que reafirmou compromissos teológicos nocivos e não afirmativos que tem causado mal a inúmeras pessoas religiosas LGBT+ no mundo todo. “Cristãs e cristãos Unidxs” são uma testemunha fiel de que um novo dia está surgindo no cristianismo, em que a Igreja de Jesus Cristo se arrepende do pecado da exclusão e abre as portas para receber toda a diversidade dos filhxs de Deus.

O Evangélicxs pela Diversidade é uma rede que reúne pessoas LGBTI e aliadxs que se identificam como evangélicas e que entendem que a diversidade sexual e a identidade de gênero devem ser celebradas como expressões da fé e espiritualidade, e que independente do gênero ou sexualidade, as comunidades de fé podem ser um lugar seguro para todxs.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Artigos

Subir