Conecte-se com a gente

Novos Diálogos

Introdução às Teologias Latino-americanas

Na Estante

Introdução às Teologias Latino-americanas

Introdução às Teologias Latino-americanas

FERNANDES, Regina. Introdução às Teologias Latino-americanas. Campinas: Editora Saber Criativo, 2019, 310pp.

Por André Muniz*

Essencial. Essa é a melhor palavra para descrever a obra Introdução às teologias latino-americanas, da teóloga e pastora Regina Fernandes. Essencial para todas as pastoras e pastores, teólogas e teólogos, missionárias e missionários e mesmo qualquer pessoa se identifique como cristã e nasceu, vive e/ou atua na América Latina. O livro é simplesmente essencial.

Formado a partir do agrupamento de dois de seus livros (Teologia da Missão Integral e Como Fazer Teologia da Missão Integral), revisados e com acréscimos, a autora construiu uma obra de referência que trata sobre as origens, os contextos sócio-históricos e os métodos das duas principais vertentes da Teologia Latino-americana: a Teologia da Libertação (TdL) e a Teologia da Missão Integral (TMI), além de citar duas formas de Teologia que tem se manifestado na América Latina nos últimos anos: a Teologia Pública e a Teologia Pentecostal.

A primeira parte do livro trata das origens históricas das teologias latino-americanas. A autora situa seu surgimento no contexto maior das teologias do Terceiro Mundo (principalmente a Negra, Asiática e Africana), descrevendo a realidade social e histórica que produziu tais teologias de um modo geral, bem como as questões específicas da América Latina. Em seguida, trata especificamente do contexto e método da TdL e da TMI. A missão nesse continente, o protestantismo histórico e questões relativas a fé teológica e a Palavra de Deus são discutidas em relação às duas formas de fazer teologia, focando principalmente a TMI.

Já na segunda parte, a autora começa discorrendo sobre a situação atual da Teologia Latino-americana, apontando o legado que esta deixou para o cristianismo e para as igrejas na América Latina e como continuar relevante ainda hoje. Depois, explica acerca do método da TMI, que se constrói como uma Teologia Hermenêutica, a partir do reconhecimento dos contextos teologal e missional/pastoral, sempre influenciadores no fazer teológico e prático e assumidos pela Teologia Latino-americana, que opta por uma hermenêutica contextual. Fernandes discute ainda a situação sócio-histórica da América Latina, criticando de forma concisa as situações particulares que construíram tal continente, suas igrejas e suas teologias tradicionais, propondo novas respostas tanto práticas, quanto teológicas.

Na parte três, por sua vez, a teóloga nos apresenta duas formas atuais de teologia latino-americana, que ainda carecem de maior produção e divulgação no país: a Teologia Pública e a Teologia Pentecostal. São discutidos os surgimentos e as possibilidades hermenêuticas e práticas dessas teologias, que podem vir a se concretizar como novas formas de Teologia Latino-americana se assumirem o contexto continental (visto que vieram de outros países, inclusive do “Primeiro Mundo”), com todos os desafios envolvidos neste processo. Nas considerações finais, um bom resumo retoma os assuntos debatidos ao longo da obra, mostrando as teologias latino-americanas não como teologias fechadas, mas num constante fazer teológico, missional e pastoral.

O livro se constitui como uma obra de referência para todos aqueles e aquelas que desejam entender, estudar e, principalmente, fazer missão e pastoral na América Latina. A crítica que se faz (muitas vezes, não sem razão) da distância entre a academia teológica e as igrejas, pastores e missionários(as) é respondida neste livro que ensina ser impossível fazer Teologia Latino-americana desvencilhada da prática; ao mesmo tempo que a prática pede por um fazer e uma reflexão teológica. Além disso, a autora aponta caminhos que respondem às questões específicas da realidade latino-americana e brasileira, ou melhor, que dão aos leitores e leitoras ferramentas para responderem por si mesmos, a partir da própria reflexão do contexto pelas Escrituras e experiência de fé.

Sendo a autora assumidamente evangélica e inclinada à TMI, a história, o método, as reflexões teológicas e mesmo as críticas à TdL ficaram em segundo plano, não recebendo tanta atenção ao longo do texto. Não obstante, a rica bibliografia citada permite ao leitor e à leitora mais interessada que procure esse aprofundamento em obras dos próprios autores da TdL. Também outras formas de teologia latino-americanas ou que buscam essa aproximação com o contexto continental foram deixadas de fora do livro, como a teologia negra latino-americana, a teologia indígena, teologia gay/queer, entre outras, talvez por ainda carecerem de produção, sistematização e/ou divulgação, ou por ainda serem muito europeias ou norte-americanas (como é o caso da teologia feminista e da teologia gay/queer).

De todo modo, o livro é uma obra de referência, uma ferramenta importante para todos que quiserem fazer teologia na e a partir da América Latina. Espero que se torne bibliografia básica em cursos de teologia e missiologia, livro de cabeceira de pastores, pastoras e missionários, missionárias, obra de referência em artigos e livros sobre a Teologia Latino-americana. Como dito, não há outra palavra melhor parar descrever essa obra: essencial.

André Muniz é graduando em Teologia na Faculdade Latino-americana, em Arujá-SP e foi missionário pela JOCUM. 

Resenha publicada originalmente em https://medium.com/sabercriativo-com-br/resenha-introdu%C3%A7%C3%A3o-%C3%A0s-teologias-latino-americanas-f68ffd9653d2

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Na Estante

Subir