Conecte-se com a gente

Novos Diálogos

Orações periféricas #4: Síntese

Artigos

Orações periféricas #4: Síntese

Orações periféricas #4: Síntese

Por meio dos poetas marginais desse Brasil, misturamos ritmo com uma pitada de fé, seja ela qual for. Aqui, o Rap é lido como um dia foi sentido. Ou mesmo, é arrepio de uma alma vagabunda, da qual se lê, mesmo sem saber. Sensação de escrita, sensação do som, sensação do céu. Assim é o Mistério ancestral que jogado à água salgada, nos brinda com uma bebida doce e amarga, banana com denúncia, Oshun e Iemanjá, Hare Cristo. “Ritmo e Poesia e Mística” é um projeto semanal onde a oração, a prece, o ponto e a reza da rua, se apresentam em comunhão com a vida, cultura e política das periferias do Brasil.

Se escute

Onde escorre lágrimas, existe vida
Coração, me faz sentir sua batida
Viver, não é tarde, covarde, eu não vou ser
É hora de mudar, de me cuidar, melhor, de me vencer e me violar
Pior não é morrer, é não viver e ter que respirar, já que viver é transpirar
Foda é viver sem ter nada pra inspirar!
Tá no mundo é se virar, sai do raso e vai pro fundo
Cuidado pra não afundar, já que é preciso se aprofundar
Mesmo se tudo inundar
Seu teto cair, ocê tem que tá ali
Sua casa pra erguer, seus irmãos pra salvar
Só depende de você e de você, você não pode esquecer
Como esquece, sempre, ao pensar que não merece
Não faz por merecer e desse jeito você não cresce!
Morte interna, somado a mortes externas
Fraqueza nas pernas, dores eternas, a alma enferma!
E a consciência quer que você se interna
Tá nem aí se você já sabe o que você tá fazendo aqui
Então decide. Não há coincidência onde nada coincide
Vai buscar na sua essência e ver se nela você reside
Se agride, descobre, a verdade não se encobre
É do pobre todo ouro, e na sua mão só vejo cobre!

Se cobre mais, viva mais, ore
Eleve sua mente até seu coração, chore
Lave seu rosto, se eleve em coro
Perdão: Seu ouro prometido a cura pro seu couro ferido
Em conflito com seu espírito ungido
Loucura, Murmura, é o grito, da autocondenação
Bendito seja o Senhor que deseja que você seja o seu senhor
Então, almeja, tudo de bom, tudo de ruim
Veja e ao perceber, mude! Radical e rude consigo mesmo
Sem pressa, e sem essa de Não Consigo Mesmo
A esmo, seria tudo, queria tudo, conseguiria
Seria mudo, e de nada valeria
Então, sorria, um pouco por você, pelo outro, lute
É parte de você, se escute

(Síntese. Álbum: Sem Cortesia, 2012. Música: Se escute)

Síntese é um grupo de rap do interior de São Paulo, São José dos Campos, que nasceu das rodas de freestyle, da coletividade entre amigos e um sentido espiritual que ultrapassava a matéria. Nomes como Moitão, Nego Max, Inglês, Distúrbio Verbal e a produtora Matrero, compõe o cenário de influências e histórias para a gestação de duas personalidades que formam o grupo: Neto e Leonardo Irian.

A partir de 2010 os dois começam a escrever de forma sistemática dando vida a inúmeras inquietações sociais e espirituais que passavam, apesar da pouca idade, naquela época. A vontade em decifrar o comportamento humano, a mediunidade, o contato extrassensorial ligado ao incômodo existencial, aproximam o Síntese de diversos místicos que a história conheceu.

Nas palavras de Neto – integrante que hoje leva o grupo sozinho – o sentimento envolto na criação do álbum duplo “Sem Cortesia” (2012), era de “um grito tão grande”, um ímpeto de “intervir na matéria” através do milagre que poderiam manipular com a música, que tudo se tornou complexo, a ponto de não saberem lidar com o mundo real. Neto relata também em uma entrevista que o erro foi pensar que a solução seria uma certa reclusão/saída do mundo, sendo até mesmo cogitado a entrada dos dois na Ordem Franciscana, mas que agora, entende que a prática da vida cotidiana representa os maiores traços de uma espiritualidade fora da “escravidão mental” que torna os seres humanos cegos à realidade imanente: “O que me amarra ao racional esbarra no espiritual”.

O sentimento observado em shows, a intensidade das letras e músicas, tornam o Síntese um lugar gerador de experiências religiosas que se estende à parcerias com outros Mc’s, a expansão de sua mensagem e a gravação de um novo álbum “Trilha para o Desencanto da Ilusão”, em 2016.

“Enquanto servirmos ao faraó, nunca sairemos do Egito”, Síntese

Mestrando em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP), teólogo pela Faculdade Teológica Batista de São Paulo e ator, especializado em comédia física e palhaçaria.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Artigos

Subir